Sabe aquele pelinho encravado que inflama e fica com um aspecto de espinha? Muitas vezes fica até dolorido e a região fica avermelhada? Então, isso é mais comum do que você imagina e é uma doença que tem até nome: foliculite.

Mas afinal de contas, o que é e quais são suas causas? Existe tratamento para foliculite? É isso que vamos ver agora. Então, continue a leitura!

O que é foliculite?

Foliculite é uma infecção aguda ou crônica de pele que se inicia nos folículos pilosos, estruturas complexas responsáveis pelo nascimento e crescimento dos pelos por todo o corpo.

Geralmente, essa infecção tem como consequência a inflamação da região que se manifesta como pequenas erupções (parecidas com espinhas) com ponta branca em torno do folículo piloso acometido. Com isso, a região pode ficar dolorida, avermelhada e coçar.

Em casos mais graves, há necessidade de um acompanhamento mais rigoroso do médico e alguns precisam até mesmo de intervenção cirúrgica.

Mas pode ficar tranquila, existe tratamento para foliculite e a maioria dos casos são superficiais!

Qualquer pessoa pode apresentar, porém algumas têm mais predisposição a desenvolver esse problema. Como é o caso de pessoas com fototipo mais alto, obesos e pessoas com baixa imunidade.

Causas da foliculite

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a foliculite, geralmente, é motivada por infecções bacterianas (sendo a mais comum a Staphilococcus aureus – uma bactéria comum que se aloja na pele dos seres humanos) ou fúngicas, mas também pode ser ocasionada por vírus ou outros fatores.

A depilação é um fator causador porque causa micro lesões na pele que facilitam a entrada de bactérias, principalmente nos casos de depilação com lâmina.

O pelo encravado também pode levar à foliculite, pois é considerado pelo organismo como um corpo estrando, desencadeando um processo inflamatório na região.

Além das já descritas, as causas mais comuns são:

  • uso de roupas muito justas ou que retêm umidade e calor;
  • escoriações na pele;
  • lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas;
  • picadas de insetos;
  • enfermidades como a acne e a dermatite;
  • uso tópico e contínuo de cremes esteroides e de antibióticos;
  • calor e suor, como o causado pelo uso de luvas ou botas de borracha;
  • curativos de plástico ou fita adesiva em contato com áreas de pelo.  

As regiões mais comuns de apresentarem foliculite são face, axilas, nádegas e virilha, mas o problema pode surgir em qualquer lugar do corpo em que haja pelos.

Tipos de foliculite

Existem alguns tipos, sendo classificadas em dois grupos: superficiais e profundas.

Foliculites Superficiais

Nesse tipo, a inflamação atinge apenas a parte superior do folículo piloso. Podem ser de 4 tipos:

  • Estafilocócica: é o tipo mais comum. Acontece quando bactérias, principalmente a Staphylococcus aureus, infectam a pele.

  • Pseudomonas: conhecida popularmente como “foliculite da banheira quente”. Acontece quando as bactérias Pseudomonas aeruginosa, infectam a pele. Esse tipo de bactéria se desenvolve em ambientes aquosos nos quais os níveis de cloro e pH estejam desregulados.

  •  Pseudofoliculite da barba: trata-se da inflamação dos folículos pilosos da área da barba causada, principalmente, pela raspagem dos pelos.

  • Ptirospórica: esse tipo é bem comum em adolescentes e homens adultos. Ela é causada por um fungo que causa espinhas, pápulas avermelhadas e coceira acometendo, normalmente, o dorso, o tórax anterior, o pescoço, os ombros, os braços e a face.

VEJA TAMBÉM: Tudo que você precisa saber sobre a depilação a laser masculina

Foliculites Profundas

As foliculites profundas atingem todo o folículo piloso, também podendo ser de 4 tipos:

  • Sicose barba: também causada pelo Staphylococcus aureus, esse tipo de infecção do folículo pode se agravar pela repetição do ato de barbear. As lesões aparecem na região da barba (face, lábio superior, queixo e mandíbula) dos homens adultos. Em casos mais graves, podem deixar cicatrizes.

  • Foliculite gram-negativa: esse tipo se manifesta em pessoas que usam antibióticos orais por longos períodos, o que faz com que a flora bacteriana do nariz fique desequilibrada, favorecendo a proliferação de bactérias gram-negativas. Essa proliferação pode se espelhar pela face e causar lesões graves.

  • Furúnculos e carbúnculos: tem como causa uma infecção profunda causada pela bactéria Staphylococcus aureus. O furúnculo é um abscesso, ou seja, um nódulo vermelho e duro com pus, na parte central, que afeta um único folículo piloso. Já o carbúnculo atinge um grupo de folículos pilosos próximos, formando um aglomerado de furúnculos.

  • Foliculite eosinofílica: é um tipo que se manifesta, especialmente, em pessoas com HIV e com baixa imunidade, com causas ainda não muito esclarecidas, mas que pode envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

Como a depilação a laser ajuda no tratamento para foliculite?

A depilação a laser destrói o folículo piloso, impedindo que os pelos nasçam e cresçam novamente. Como a foliculite é a infecção do folículo, esse problema não vai existir se o folículo já tiver sido destruído.

Por isso, a depilação a laser é uma das melhores formas de tratamento para foliculite, principalmente decorrente da depilação com cera ou lâmina.

Além desse grande benefício para quem sofre com esse problema, a depilação tem outros inúmeros benefícios, como durabilidade, maior tempo entre as sessões, menos agressão à pele, aplicação confortável, dentre outros.

Enfim, ficou interessado em saber mais sobre a depilação a laser? Confira nosso artigo Depilação a Laser: perguntas mais comuns e TUDO mais que você precisa saber